Criança Interior


No caminho do autoconhecimento o contato com a nossa criança interior revela-se fundamental. Esta é uma das situações abordadas, em determinadas situações, pela hipnoterapia. Resgatar a criança interior é como despirmo-nos de máscaras que fomos colocando ao longo dos anos enquanto crescíamos. É recuperar e lembrar o nosso lado mais puro e feliz, sem qualquer esforço, sem qualquer fingimento.


Uma das fases mais importantes da nossa vida é aquela que corresponde desde o nascimento até aos sete anos, nessa fase somos verdadeiras esponjas. É nessa altura que captamos os nossos valores a partir do que está à nossa volta. É nesse momento que criamos ou não a nossa confiança, que aprendemos a gerir emoções, a impor limites. Muito do que acontece nesse momento é a causa do que somos hoje. Por isso se existir algum bloqueio, é bem provável que a causa possa vir daí. Trabalhar com a nossa criança interior é uma técnica poderosa e transformadora. Sim, porque é possível realizarmos uma reprogramação, reescrevermos a nossa história de modo a sermos mais autênticos e felizes.

A nossa criança interior, e esses anos específicos, são os óculos a partir dos quais vemos hoje a realidade. Então é bom perceber se eles estão embaciados ou quebrados e restaurá-los.


A criança interior precisa de ser vista, abraçada, acolhida, amada. Só assim crescemos adultos fortes, seguros, capazes, confiantes.

Em criança sentimos o Mundo a partir do atendimento das nossas necessidades e isso acontece através dos adultos que estão connosco. Se eles não estiveram presentes, se eles não nos viram, não nos acolheram, não nos deram o que precisávamos, isso pode ter originado adultos inseguros.


Podemos observar alguns sinais para perceber que a nossa criança interior pode estar ferida se:

- Houver um sentimento de insegurança e baixa autoestima.

- Houver dificuldade em confiar nos outros.

- A forma de reagirmos aos desafios for pela fuga, gritando ou maltratando outros.

- Houver a necessidade de agradar aos outros de modo a esquecermo-nos de nós.

- Virmos o Mundo através de contrastes.

- Reagirmos aos desafios e relacionamentos com imaturidade.


O estado natural da criança interior é o estado de alegria, confiança, autenticidade, intuitiva.

Quando nascemos vimos apenas com dois medos: o medo de cair de espaços altos e o medo de ruídos altos. Todos os outros são criados partindo da influência externa. É assim que se formam as nossas crenças. E quando são crenças limitadoras, ou sejam, que nos bloqueiam, temos todo o direito de as “limpar”. As frases que ouvimos: «És muito lento.» «Não fazes nada direito.» «Devias fazes como o João…» ficam registadas e limitam-nos. Então em adultos podemos escolher continuar a ouvir esta cassete ou gravar uma nova mensagem, uma mensagem potenciadora, motivadora. E é aqui que surge a hipnoterapia para nos ajudar a ressignificar e fazer esta viagem. A criança interior ferida manifesta-se quando ocorrem situações que nos recordam essas crenças, esses momentos do passado que foram registados no subconsciente. O primeiro passo consiste em aceitar o que sentimos, depois amar e acolher a nossa criança e agradecer pela lição que aprendemos. Assim fazemos a verdadeira transmutação e permitimos a expressão verdadeira da nossa Alma.


Ana Loureiro


37 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo